Psicomotricidade Relacional: contributos na Formação de Professores(as) de Educação Física

Contenido principal del artículo

Camila Rubira Silva
Ângela Adriane Schmidt Bersch

Resumen





Neste artigo investigamos as experiências vivenciadas pela primeira autora em uma ação pedagógica da disciplina Psicomotricidade Relacional, ofertada para um curso de Licenciatura em Educação Física de uma Universidade Federal do extremo Sul do Brasil, visando compreender as implicações dessas experiências na sua formação docente. Para tanto, analisamos as notas narrativas escritas em diário de campo durante a referida disciplina com subsídio da metodologia de Pesquisa Narrativa e aporte teórico de Lapierre (1997). Na análise emergiram três categorias: Medo e insegurança – em planejar e aplicar uma ação de Psicomotricidade Relacional; Anseio e cuidado – em promover uma pedagogia centrada no(a) estudante e na escolha de materiais que despertassem a atenção e interação entre os(as) participantes; Interesse e satisfação – em vivenciar e promover diferentes experiências de abordagens pedagógicas de ensino de Educação Física, bem como em refletir as próprias experiências formativas. Concluímos, que ao experienciar sessões de Psicomotricidade Relacional o(a) professor(a) poderá construir saberes que o(a) possibilite promover um ensino de Educação Física tendo como pressupostos a escuta, o diálogo, a criatividade e a qualidade das relações sociais que serão estabelecidas entre os sujeitos.





Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Detalles del artículo

Cómo citar
Silva, C. R., & Bersch, Ângela A. S. (2022). Psicomotricidade Relacional: contributos na Formação de Professores(as) de Educação Física. Educación Física Y Ciencia, 24(1), e209. https://doi.org/10.24215/23142561e209
Sección
Artículos
Biografía del autor/a

Camila Rubira Silva, Universidade Federal de Rio Grande

Doutoranda e Mestre em Educação em Ciências pelo Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Especialista em Docência com Ênfase em Educação Inclusiva pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais. Graduada em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG.

Ângela Adriane Schmidt Bersch, Universidade Federal do Rio Grande

Doutorado e Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Graduação em Educação Física pela Universidade Federal de Pelotas - UFPel. Professora Adjunta do Instituto de Educação da Universidade Federal do Rio Grande- FURG. Professora do Programa de pós-graduação em Educação - PPGEDU/FURG.

Citas

Alves, A.; Perrota, C.; Quintão, C. O.; Suzano, C. C.; Schaefer, K. S.; Thomaz, R. S. e Rodrigues, R. N. (2019). Contenção ou liberdade: o que pode o corpo na escola? Trabalho apresentado em I Congresso Internacional de Psicomotricidade XIV Congresso Brasileiro de Psicomotricidade. Recuperado de: https://psicomotricidade.com.br/category/artigos/;. Acesso em: 10/09//2020

Bersch, Â. A. e Julino, A. Da C. (2015). Psicomotricidade Relacional e a repercussão na formação acadêmica de alunos de Educação Física – FURG. Revista Didática Sistêmica, Edição Especial.

Bersch, Â. A. e Piske, E. L. (2020). Psicomotricidade Relacional: estratégia de intervenção pedagógica na Educação. Itinerarius Reflectionis, 16, 1-18. DOI: https://doi.org/10.5216/rir.v16i3.60420

Bersch, Â. A.; Yunes, M. A. e Molon, S. I. (2020). Psicomotricidade relacional sob a ótica de conceitos teóricos de Vygotsky e Bronfenbrenner. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, 29(60), 308-321. DOI: http://dx.doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n60.p308-321

Clandinin, J. e Connely, M. (2008). Relatos de experiencia e investigacion narrativa. En J. Larrosa (Org.), Déjame que te cuente: Ensayos sobre Narrativa y Educacion (pp. 11-59). Barcelona: Laertes, S.A. de Ediciones.

Clandinin, J. e Connely, M. (2011). Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU.

Galvão, C. (2005). Narrativas em Educação. Ciência & Educação, 11(2), 327-345. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-73132005000200013

Lapierre, A. e Aucouturier, B. (1985). Simbologia del movimiento: Psicomotricidad y educación. 2° ed. Barcelona: Editorial Científico-médica.

Lapierre, A. (1993). Psicomotricidad Relacional y Educación Física. En I Congreso Argentino de Educación Física y Ciencia. Anais. (pp. 289-317). La Plata, Argentina: Memoria Académica. Recuperado de: http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/trab_eventos/ev.6932/ev.6932.pdf

Lapierre, A. (1997). Da Psicomotricidade Relacional à análise corporal da relação. Curitiba: Ed. UFPR.

Lapierre, A. (2008). Cuerpo y Psiquismo. Revista Iberoamericana de Psicomotricidad y Técnicas Corporales,31(8), 15-20. Recuperado de: https://dialnt.unirioja.es/ejemplar/273906

Maturana, H. R. (2002). Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG.

Maturana, H. R. e Verden-Zõller, G. (2004). Amar e brincar: fundamentos esquecidos do humano do patriarcado à democracia. São Paulo: Palas Athena.

Maturana, H. R. e Varela, F. (2005). A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 5 ed. São Paulo: Palas Athena.

Maturana, H. R. e Dávila, X. P. (2006). Educação a partir da matriz biológica da existência humana. Revista PRELAC, 2, 30-39.

Soares, C. L. (2005). Imagens da educação no corpo: estudo a partir da ginástica francesa no século XIX. 3 ed. Campinas: Autores Associados.

Tardif, M. (2019). Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis: Vozes.

Vieira, J. L.; Batista, M. I. e Lapierre, A. (2005). Psicomotricidade Relacional: a teoria de uma prática. Curitiba: Filosofart/Ciar.